Finanças ...
Formas de eliminação de dívidas
(1)





Empréstimo não é a solução para a dívida, empréstimo é outra dívida que você pode se programar melhor para pagá-la.
Começo por este e nos próximos quatro artigos, falarei sobre as formas de eliminação de dívidas. São apenas cinco formas e não tem segredo. Acompanhe.
Troca de dívidas:
Trocar dívidas significa pegar um dinheiro emprestado para quitar outra dívida.
Quero esclarecer que empréstimo não é a solução para dívidas e sim outra dívida.
Trocar dívidas nada mais é do que pegar um empréstimo para liquidar o saldo do cartão de crédito ou o saldo do cheque especial.
Estas duas modalidades de crédito possuem as maiores taxas de juros do mercado.
Você que é funcionário de alguma empresa pode usar o crédito consignado para a quitação de outras dívidas.
Por exemplo, se você está com um saldo no Cartão de Crédito de R$ 1.000,00 (mil reais)e paga somente o mínimo no rotativo mensal (você provavelmente paga R$ 100,00), no outro mês, sem comprar nada, sua dívida volta aos R$ 1.000,00 ou mais com os juros incidentes.
Mas se você pega um empréstimo consignado na cooperativa de sua empresa ou na categoria, você certamente conseguirá taxas melhores e pagará menos juros e, ainda, abaterá a sua dívida. O que não acontece quando você paga apenas o mínimo no cartão.
Com uma prestação você pagará sua dívida total em 6 ou 12 meses.
Se continuar a pagar o mínimo não acabará de pagar nunca...
Além da taxa de juros, a principal providência ao se contratar um empréstimo é calcular se o valor da prestação mensal está dentro do seu orçamento.
Muitas pessoas não fazem esta conta e já, na primeira prestação, utilizam-se de outros créditos para quitação da prestação.
Lembre-se: se você recebe R$ 1.000,00 por mês e faz um empréstimo de 12 parcelas de R$ 100,00 você receberá pelos próximos 12 meses R$ 900,00 pois o R$ 100,00 já serão descontados.
Faça esta conta, pois há pessoas que continuam a gastar como se recebessem os R$ 1.000,00.
Esta é uma das formas de uso consciente do crédito.
Empréstimo não é a solução para a dívida, empréstimo é outra dívida que você pode se programar melhor para pagá-la.
Acompanhe os outros artigos de formas de eliminação de dívidas.
Viva em paz com o seu dinheiro.


(2)
Existem outras formas de aumentar a renda. Faça algo diferente!
No artigo anterior, abordei sobre a “Troca de dívidas”.
Neste, falarei sobre o “Aumento dos rendimentos”.
Isso é o sonho de muitas pessoas – conseguir aumentar a renda e, com sabedoria, eliminar as dívidas.
Digo com sabedoria, pois muitas pessoas conseguem aumentar a renda e continuam endividadas por não usarem bem o dinheiro que ganham.
O aumento de salário é uma forma de aumentar os rendimentos, mas não está fácil conseguir, principalmente como servidores dependentes de questões de governo para aumento.
Mesmo assim quero lhe fazer um desafio: você realmente tem merecido um aumento de salário? Seu comprometimento está legal, sua produtividade aumentou, você está gerenciando melhor seu setor ou demonstra que merece crescer dentro do seu local de trabalho, seja serviço público ou privado?
Tem muita gente que quer aumento de salário sem fazer nada. Pense nisso.
Existem outras formas de aumentar a renda.
Faça algo diferente!
Plante uma horta, por exemplo; crie pequenos animais, faça um artesanato ou um trabalho extra de digitação.
Aproveite as datas comemorativas como Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia dos Namorados, Natal etc., ou mesmo com todos os meses, para fazer presentes interessantes ou doces para vender.
O que você não pode é ficar parado.
Outra maneira de aumentar a renda é o marketing direto.
Várias pessoas ganham dinheiro com isso.
Algumas têm preconceito, mas o que vejo é que são formas de aumentar a renda.
Empresas como Natura, Avon, Herbalife, Tahitian Noni etc., são empresas que possibilitam um aumento de renda com investimentos baixos se comparados com o negócio próprio, porém, tudo depende de dedicação, nada é alcançado num passe de mágica.
Montar o próprio negócio também é uma forma de aumentar a renda, contudo, exige, na maioria das vezes, maiores volumes de investimento e maior dedicação.
Para as pessoas já endividadas é mais difícil.
Antes de montar qualquer negócio, por favor, construa o Plano de Negócios e peça orientação. Plano de Negócios para quem não sabe é montar a empresa no papel e estudar a viabilidade. Existem ainda as franquias.
A dica que passo é: faça algo, tente alguma coisa.
Pense nisso e melhore a sua renda ainda este ano.
Que todas as pessoas possam viver em paz com o seu dinheiro e que as dívidas não sejam problemas para ninguém.

(3)
Usem a reserva financeira para quitar ou diminuir as dívidas, mas tenham a disciplina de no futuro construí-la novamente. Já falei sobre “Troca de dívidas” e “Aumento de rendimentos”, agora vou falar sobre como uma pessoa pode utilizar-se de uma reserva financeira para quitar as dívidas.
A primeira delas é a “Utilização de Reserva Financeira”. Mas como é isso? Existem pessoas que têm dívidas, mas possuem também uma reserva financeira ou pagam mensalmente um valor para terem uma compensação no futuro.
Exemplos: reserva financeira; previdência pensando no futuro; consórcio para troca do carro; consórcio de apartamento; consórcio entre amigos e parentes para juntar dinheiro; títulos de capitalização e tantos outros.
Essas são algumas formas de juntar dinheiro. Mas eu pergunto: o que adianta ter essas reservas ou pagar prestações mensais pensando no futuro e ao mesmo tempo usar o cheque especial para pagar estas prestações e não sair dele? Será que vale a pena?
O valor dos juros que você recebe nesses tipos de reserva ou aplicações é muito menor do que o valor dos juros pagos em cheque especial, ou quando se paga apenas o mínimo nos cartões de crédito.
Vejo que existe uma falta de disciplina, e com isso a pessoa paga juros sem precisar. E o que é pior: comprometendo o orçamento mensal.
Algumas pessoas me falam: “Mas eu custei tanto para economizar!”. O que oriento é que usem esta reserva para quitar ou diminuir as dívidas, mas tenham a disciplina de no futuro voltar a construir novamente esta reserva.
Isso tem acontecido em demasia dentro das empresas com os planos de previdência privada. Não compensa ter descontado no salário o valor da previdência e estar o mês inteiro no cheque especial ou pagando o mínimo no cartão de crédito.
Vejo que muitas pessoas, por questões financeiras, acabam tendo problemas com produtividade no trabalho, relacionamentos dentro e fora da empresa e, inclusive, problemas físicos como insônia, depressão etc.
Viva em paz com o seu dinheiro e que as dívidas não sejam problemas para ninguém.

(4)



Gastar mais do que se ganha todos os meses é uma armadilha que pega facilmente as pessoas trazendo grandes problemas.Neste artigo, vou falar a principal forma de eliminação de dívidas: gastar menos do que se ganha todos os meses.
Vou repetir para reforçar: GASTAR MENOS do que se ganha todos os meses.
No mundo consumista de hoje, isto não é tarefa fácil, aliás, fácil é gastar mais do que se ganha, não é mesmo?
Todo mundo lhe oferece créditos, empréstimos, cartões e compras financiadas.
Pare com isto!
A vida é simples e Deus quer que sejamos equilibrados.
Não quero motivar ninguém a ficar satisfeito com o salário que ganha, mas quero motivar e mostrar que gastar mais do que se ganha todos os meses é uma armadilha que pega facilmente as pessoas trazendo grandes problemas.
Falando em dívidas, de nada adiantará você trocá-las, ou aumentar seus rendimentos, ou utilizar-se de uma reserva financeira ou até mesmo vender seus bens para quitá-las e continuar gastando mais do que ganha mensalmente.
Se você fizer isto, certamente, você acabará com suas dívidas, porém, futuramente, você terá novas dívidas e, ainda por cima, ficará sem os seus bens e reservas.
Tenha uma vida equilibrada, coloque o seu orçamento em um papel ou em uma planilha, reveja todos os seus gastos e para onde está indo o seu dinheiro.
Será que você está gastando bem o seu dinheiro?
Faça um planejamento para viver com sua renda, de forma que sobre uma parcela para você usá-lo para o pagamento de parte de suas dívidas.
Aqui no portal www.lagoinha.com recebo diversos e-mails de irmãos que passam por sérias dificuldades financeiras.
E a grande maioria está nesta situação por gastar mal o seu dinheiro.
Não quero ensinar ninguém a ser sovina, “pão-duro” ou “mão-de-vaca”, o que sinceramente quero é que você viva em paz com o seu dinheiro!

(5)

Muito cuidado com bens que só dão despesas, faça o planejamento de todos os seus bens.
Este é o 5º e último artigo da série: “Formas de eliminação de dívidas”.
Neste, quero abordar sobre a venda dos bens para saldar as dívidas.
Esta forma de eliminação de dívidas não é muito agradável, mas, às vezes, é necessária.
Abrir mão de algo que você conquistou ou recebeu é realmente muito difícil, porém vamos levar em conta alguns itens.
A tendência de uma dívida normalmente é crescer.
A de um bem, na maioria das vezes, é a depreciação, portando, se ficar protelando muito a venda de um bem o valor da dívida pode até ultrapassar ao longo do tempo.
Muito cuidado com bens que só dão despesas como imóveis parados (lotes, sítios, apartamentos alugados por baixo valor), veículos (carros e motos com pouco tempo de uso que demandam manutenção e impostos).
Na realidade, todos nós temos alguns bens que não são muito utilizados e isto pode ser uma ótima oportunidade para usá-los com o objetivo de abater ou quitar a dívida.
Até agora falei somente de bens cujos valores são altos, mas vale tudo.
É como o Pastor Márcio Valadão sempre fala: “Olhe em sua casa, faça uma limpeza, tudo que está no seu guarda-roupa que há mais de 6 meses você não usa, se não der para vender e apurar alguma grana, pelo menos pode ser doado e ajudar a outras pessoas”.
Alerto sempre em minhas palestras para que as pessoas tomem muito cuidado com o carro que dirigem, com a roupa que vestem e, principalmente, com a casa onde moram.
Sua renda comporta todos estes gastos fixos mensais necessários para mantê-los?
Conheço pessoas que para morarem onde estão, não conseguem ter um bom carro ou outros bens.
Claro que cada pessoa tem os seus objetivos, mas muito cuidado!
Faça o planejamento de todos os seus bens.
O bens, normalmente, são colocados na coluna do balanço como ativos, mas Robert Kiyosaki, em seu livro intitulado “Pai Rico Pai Pobre”, diz: “Muito cuidado com ativos que só geram passivos”. Traduzindo: bens que só geram despesas.
Vender um bem para quitar uma dívida pode ser até um estímulo para você dizer: “Vendi, mas vou implantar um novo controle das minhas finanças e vou adquirir outro bem no futuro”.
Com planejamento, isso é possível.
Deus os Abençoe e sucesso a todos.

Erasmo Vieira
Administrador e Consultor em Finanças Pessoais.
planner@plannerfinancas.com.br.

Um comentário:

Helen Vilela disse...

eie!!!! =)

que bom vc pelo meu blog! E vi que vc tem o link do meu aqui no teu. vou colocar o link do teu lá no meu tb.

E ai como vao as coisas????

Pois é, tinha tempos que não frequentava célula. A que eu ia acabou e fiquei sem, mas encontrei essa ai, que tem sido uma das melhores coisas da minha vida. Fico que nem tu, contando os dias pra quarta feira!


beijao e Deus te abençoe tb

helen